quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Trump e o seu estilo de vida

Depois de um mês trágico para a democracia americana, sabe-se agora que os passeios de Trump já custaram mais do que Obama gastou durante todo um ano, ou seja mais de 10 milhões de dólares. Trata-se de dinheiro gasto em três fins-de-semana mais os custos associados à segurança. Fala-se de um estilo de vida "inusitadamente elaborado". Dir-se-ia que a democracia tem custos, mas nem esses custos podem ser tão elevados (um mês desde a tomada de posse), nem Trump faz o que quer que seja pela democracia, bem pelo contrário.
Entre alguns dos detalhes deliciosos foi conhecida a despesa do Estado de Nova Iorque para proteger a Trump Tower (onde vive a primeira-dama e um filho): 500 mil dólares por dia.
Haverá sempre quem considere esta notícia mais um ataque à Administração Trump e, por cá, também existem os que consideram que Trump é uma vítima da comunicação social, do poder económico, do poder político, do "establishment". Os ataques à democracia, os ataques aos direitos humanos, o retrocesso sem precedentes e um Presidente e seus acólitos verdadeiramente amadores, não parece causar qualquer espécie de inquietação. O mal, claro está, reside na comunicação social - inimiga do povo americano.

Não deixa de ser irónico saber que entre aqueles que votaram Trump, estarem os alinhados com o movimento Tea Party, que faz dos gastos excessivos do Estado Federal uma das suas bandeiras. 

1 comentário:

Carlos Pires disse...

Politicamente ele faz lembrar aquele atleta que foi aos Jogos Olímpicos e quase não sabia nadar: os outros atletas sorriem e o público ri à gargalhada. Mas depois começam as diferenças: apesar de "nadar" mal ele consegue chegar primeiro que os outros. Contente com a vitória não reconhece que precisa de melhorar e aprender, diz que os outros é que não percebem nada de "natação". E nada indica que vá mudar.