sexta-feira, 15 de maio de 2015

A visão de Passos Coelho

Estamos a construir uma sociedade totalmente diferente: uma sociedade construída na base do mérito, da competência e do esforço de cada um e não na base da batota e do favor político”(…)“Como qualquer pessoa que conduz um processo de terapia, porque de facto o que estivemos foi a fazer uma terapêutica, o objectivo que temos é vencer a doença, não é perguntar se as pessoas durante esse processo têm febre, têm dor ou se gostam do sabor do xarope”. Pedro Passos Coelho.

Afirmar que Passos Coelho tem uma visão para o país é talvez um quanto rebuscado. No melhor dos cenários, Passos Coelho e boa parte do seu séquito pediram emprestadas umas ideias muito vagas que passam pela transformação da sociedade portuguesa; uma transformação que se consubstancia na desvalorização salarial, na venda dos activos do país e no enfraquecimento do Estado Social. Chamar a este empobrecimento "visão" é claramente um exagero.
Voltando ao melhor dos cenários, Passos Coelho terá sido incumbido de proceder à mencionada transformação, nada mais.
O que é paradoxal, ouvir ainda primeiro-ministro falar de mérito e competência em oposição ao favor político. Escusado será olhar para o percurso de Passos Coelho, até porque todos sabemos que o primeiro-ministro representa a antítese daquilo que apregoa.

Paralelamente, a referida terapia - a terapia de choque (?) utilizada por Margaret Thatcher, sem a redução de impostos apregoada pela senhora em questão - está a matar o país, mesmo que o pensamento único dominante insista em nos dizer o contrário.

Sem comentários: