terça-feira, 13 de novembro de 2012

Greve Geral

A greve é uma forma de protesto e é legítimo encontrar-se e fazer-se a apologia de outras formas de protesto. De facto, existe uma multiplicidade de razões que justificam a greve de amanhã. A investida que tem sido feita contra quem trabalha é por demais evidente, embora ainda não exista a percepção generalizada das penalizações a que os trabalhadores estarão sujeitos em 2013.
Com efeito, é fácil encontrar-se razões para a mobilização dos trabalhadores sob a forma de greve geral. Quanto à eficácia das greves, a discussão acaba por ser mais abrangente, embora nessa discussão não se deva descurar a importância que esta forma de luta teve no passado, contribuindo decisivamente para o reforço dos direitos dos trabalhadores.
Hoje assiste-se a um retrocesso sem paralelo, quer em matéria de direitos dos trabalhadores, quer no que diz respeito ao retrocesso que se antevê ainda mais acentuado no que diz respeito ao Estado Social.
Assim, são inúmeras as razões que justificam a adopção de várias formas de luta, a greve é uma delas. Todavia, haverá muitos que embora vejam todo o sentido na greve de amanhã, estarão impossibilitados de aderir, por várias razões: precariedade, pouca adesão no local de trabalho, a perda de um dia de trabalho e subsequentemente o emagrecimento do salário.
Caminhamos a passos largos para o abismo. Haverá quem ainda se recuse ver essa evidência. Para o ano, daremos mais um passo nesse sentido.

2 comentários:

HP disse...

Não tenho a mínima dúvida que caminhamos a passos largos para o abismo e muitos fazem-no de olhos fechados. Amanhã estarei de olhos bem abertos e a gritar na rua pois é lá que terá que começar a mudança já que de outra forma não vamos lá!

HP disse...

Não tenho a mínima dúvida que caminhamos a passos largos para o abismo e muitos fazem-no de olhos fechados. Amanhã estarei de olhos bem abertos e a gritar na rua pois é lá que terá que começar a mudança já que de outra forma não vamos lá!