segunda-feira, 15 de maio de 2017

Está despedido

A frase em epígrafe celebrizou Donald Trump num famoso reality show americano. Agora Trump, na qualidade de Presidente dos Estados Unidos, aplica a ordem expressa na frase ao Director do FBI, James Comey. Recorde-se que Trump já tinha anteriormente despedido o Conselheiro de Segurança Nacional, um General e uma ministra da Justiça. Despedimentos que têm sempre a sombra das relações entre Trump e a Rússia.
Depois da notícia do despedimento de Comey, uma única certeza, a que outros chamarão, paradoxalmente, coincidência: Trump afastou o Director do FBI por este ter vindo a intensificar as investigações em torno das relações entre membros próximos de Trump e a Rússia.
E para tornar tudo ainda mais sinistro, recorde-se também que Trump, aquando das investigações do FBI a Hillary Clinton, teceu rasgados elogios ao homem que agora despede.
O FBI é um órgão independente, embora o seu Director possa de facto ser afastado pelo Presidente. No entanto, ao despedir Comey quando as investigações sobre si e sobre os seus colaboradores se intensifica, desrespeitando ainda de forma mais grosseira do que o habitual a independência de um órgão, Trump dá mais um forte contributo para o enfraquecimento da democracia.
Com efeito, não sei se Trump conseguirá de facto cumprir o seu mandato, ainda assim resta-me uma certeza: este Presidente já fez mais estragos na democracia americana que já se encontra pejada de incongruências e sinais de degradação do que qualquer outro. Até mais do que Richard Nixon. Sim, até mais do que Nixon que acabou por se demitir sem alguma vez ter descido tão baixo quanto Donald Trump se habituou a descer e a levar a democracia americana com ele.


Sem comentários: