segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Mário Soares

Morreu uma figura máxima da política portuguesa do século XX. Morreu um dos fundadores do Partido Socialista e um homem que, goste-se ou não, era extraordinário. Morreu um amante da democracia e um dos mais importantes defensores da liberdade.
Morreu uma figura central no estabelecimento da democracia, sobretudo nos tempos difíceis subsequentes ao 25 de Abril. Um homem que lutou persistentemente contra o fascismo. Desapareceu um dos maiores obreiros da consolidação da nossa democracia. Devemos-lhe isso.

As contradições, os erros e os aspectos menos positivos podem esperar um certo tempo para ser abordados. Agora é tempo de pesar.

Sem comentários: