quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

EUA: democracia ou oligarquia?

A frase de Lincoln "government of the people, by the people, for the people" ainda se aplicará nos EUA? Ou será que um pequeno grupo de oligarcas tem conseguido enfraquecer a democracia, instalando a tão desejada concentração de poder nas mãos de poucos?
Qualquer análise do assunto produzirá resultados pouco animadores e, pior, qualquer projecção de futuro apresentará cenários (muito prováveis de se concretizarem) ainda menos animadores, agora com Trump à frente dos destinos do país.
Curiosamente, Trump apresentou-se como sendo um homem fora do sistema - político, presume-se -, no entanto, Trump respira o sistema, ele é parte significativa do sistema. Nada de bom à vista, portanto, bem pelo contrário.
A influência, através do dinheiro, das doações e dos lobbies, que um pequeno grupo de pessoas tem quer na escolha, quer no desempenho do Presidente dos Estados Unidos, congressistas, senadores e até juízes do supremo aniquila a democracia, transformando-a no exercício do poder por parte de um pequeno grupo de cidadãos. Na verdade, que interesses é que os patrocinados pelo dinheiro vão defender? Os interesses dos cidadãos ou os interesses de quem os patrocina? Onde fica a democracia quando o povo deixa de ser soberano? Quando os representantes políticos têm dívidas de "gratidão" a grupos económicos ou a famílias influentes e endinheiradas? Que democracia sobrevive a tantos lobbies?
Tudo isto se agrava com Trump, para quem a democracia tem tanto valor como o cesto de roupa suja. Alguém cuja legitimidade está mitigada, procurando disfarçar o facto com o ritmo alucinante a que toma decisões. Alguém que está muito longe de querer servir o povo americano, até porque tem o seu próprio ego desmedido para servir; alguém que, na melhor das hipóteses, quando o ego assim o permitir, servirá a sua classe.
Resta ao povo americano encontrar formas de recuperar o que é seu - a sua soberania, a sua democracia, até porque as oligarquias não grassam apenas no leste da Europa, na América do Sul ou em África.

Sem comentários: