sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

As ninharias de Schäuble

Os assuntos nacionais, não querendo mostrar desprezo pelos mesmos, parecem, neste momento, uma brincadeira de crianças. Mesmo a novela TSU. É que neste preciso momento só dá Trump, por todas as piores razões imagináveis.
Por falar em brincadeiras, o que dizer das novas exigências da Alemanha no sentido de pressionar Portugal a adoptar mais medidas de austeridade, com o objectivo de baixar o défice? No Eurogrupo vinga a preocupação com a dívida portuguesa. Esta gente não existe. 
Ora, com o mundo em crescente convulsão, com as tomadas de decisão vertiginosas pelo novo Presidente americano, com a diminuição da própria Europa em função de Trump e da ascensão de Putin, a Europa, designadamente o Sr. Schäuble, manifesta preocupação com Portugal. Esta gente não existe.
Enquanto estas incautas almas se dedicam a minudências, do outro lado do Atlântico Trump tomou as seguintes decisões e admitiu adoptar as seguintes posições:
Limitações à entrada de muçulmanos no país com o objectivo de combater o radicalismo, com a justificação de que o mundo "está numa confusão total"; Trump admitiu, em entrevista, recorrer à tortura; insistência na construção do famigerado muro, alegadamente pago pelo México, com ameaças à mistura; e, finalmente, aquele que será Embaixador de Trump na UE e que aparentemente acumulará o cargo de embaixador com o de profeta da desgraça, anuncia que o Euro acabará em 18 meses.

O que são as birras de Passos Coelho, que na verdade não quer o aumento do salário mínimo, ou até as obsessões de Schäuble com Portugal ao pé disto?

Sem comentários: