sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Há uma diferença

Em rigor, há muitas diferenças a registar entre o actual Governo e o anterior, mas existe uma que merece destaque: o alvo da austeridade. Contrariamente ao anterior Governo que fez dos mais pobres e da classe média o seu alvo, o actual Governo prefere apontar para outras direcções - as dos que mais têm. Bom exemplo é a intenção do Executivo, coadjuvado por Bloco de Esquerda, de criar um imposto para proprietários com património de elevado valor. Concretamente, aqueles que possuem património acima de 500 mil euros. Este imposto será independente do já conhecido IMI. Imposto sobre o património de luxo.
Paralelamente, não é sério dissociar desta discussão aquilo que já foi devolvido precisamente aos mais pobres e à classe média no OE2016. A austeridade tem muito que se lhe diga e a chamada para os "sacrifícios" está a contemplar outros nomes que não os do costume. 
Haverá sempre quem considere este imposto injusto, designadamente quem se encontra na situação de ter de o pagar, no entanto a questão que se deve colocar é a seguinte: os apaniguados de Passos Coelho que tantos impostos deitaram sobre as classes médias, preferem esta solução - pagar quem pode pagar - ou insistir nos que fazem uma ginástica surreal apenas para chegar ao fim do mês?

Seguramente existirá uma multiplicidade de diferenças entre este Governo e o anterior, desde logo, diferenças de forma, mas a que está acima enunciada é indiscutivelmente uma das que mais merece ser enfatizada, pela positiva. Desde logo, obriga-nos a pensar sobre o modelo de sociedade que pretendemos: um modelo de desigualdades acentuadas ainda mais pela desequilibrada carga fiscal ou um modelo em que se procura atenuar essas desigualdades, utilizando também a fiscalidade para o efeito.

1 comentário:

pvnam disse...

A alta finança (capital global) está apostada em dividir/dissolver as Nações... terraplanar as Identidades... para assim melhor estabelecerem a Nova Ordem Mundial: uma nova ordem a seguir ao caos – uma ordem mercenária (um Neofeudalismo).
Andam por aí muitas marionetas... cujo trabalhinho é 'cozinhar' as condições que são do interesse da alta finança (capital global).
.
A Esquerda Bandalha/Marioneta:
i) diz que a salvação do problema do deficit demográfico da Europa... está... na naturalização da 'boa produção' demográfica daqueles que reprimem os Direitos das mulheres - ex: islâmicos;
ii) diz que a classe média que poupa... tem de ser 'martelada' com impostos!
[a alta finança não paga impostos: até as suas casas de habitação estão em offshores]
.
.
.
Anexo:
Os badalhocos armadilharam o futuro das crianças nativas europeias:
- como os nativos não possuem uma taxa de natalidade de 2.1 filhos por mulher... logo... irá acontecer uma SUJEIÇÃO AOS SALVADORES da demografia europeia: os islâmicos.
Cortar com a bandalheira antes que seja tarde demais:
- http://separatismo--50--50.blogspot.com/.
[o legítimo Direito à sobrevivência das Identidades Autóctones]