segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Terceira via

É importante não esquecer que o défice de 2015, responsabilidade de Pedro Passos Coelho e companhia,ultrapassou a meta imposta por Bruxelas e com a qual o anterior primeiro-ministro se entusiasmava e prometia cumprir. Agora Passos Coelho sorri quando diz que já viu este filme. Recomenda-se que veja o filme biográfico que retrata sobretudo os últimos anos de governação de Passos Coelho. O filme é deprimente, mas elucidativo.
Dito isto, Costa, depois do massacre aos gregos, procura um caminho intermédio, uma espécie de terceira via que, à semelhança daquela que procurou um caminho intermédio entre o socialismo moderado e o liberalismo económico, pode falhar.
Por agora pode ser que funcione, apesar das pressões externas e internas e assim se conseguir salvaguardar, pelo menos para já, rendimentos do trabalho e pensões.

De resto, Costa dificilmente poderia fazer diferente e olhando para a esperança de vida de uma Europa decadente e moribunda pode ser que a sua solução ultrapasse em longevidade a própria ideia que temos de Europa.

Sem comentários: