quarta-feira, 11 de novembro de 2015

E agora?

Quatro moções de rejeição, correspondentes a cada um dos partidos da oposição, coadjuvados pelo PAN. Depois de quatro moções de rejeição, depois do chumbo do Governo de Passos Coelho e Paulo Portas, o que vai Cavaco Silva fazer?
A comunicação social insiste nas três possibilidades que se apresentam, como se todas fossem equivalentes, isto porque não se pode dizer abertamente que a pior das soluções, na óptica dessa mesma comunicação social, seria a indigitação de António Costa com o apoio parlamentar de PCP, PEV e Bloco de Esquerda.
Num contexto de maturidade democrática, não estaríamos sequer a perder tempo com suposições; num contexto de maturidade democrática não assistiríamos com tanta insistência, e por parte de quem tem responsabilidades políticas, a ouvir argumentos simplistas e redutores como a história de quem ganha governa – num exercício que reduz o parlamento a uma autêntica insignificância e a nossa inteligência a nada.
Infelizmente, não vivemos num contexto de maturidade democrática, graças em larga medida a protagonistas como o Presidente da República. Assim, questionamos, durante o penoso tempo que o Presidente leva a tomar uma decisão, sobre o que o mesmo vai fazer.
O Governo de gestão é desastroso; um Governo de iniciativa presidencial sofreria de muitos dos males que este está a sofrer. Resta, por conseguinte, a escolha de uma solução de esquerda.

E agora Cavaco Silva?

Sem comentários: