segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Uma modesta adaptação

Karl Marx dizia que todos os factos e personagens de importância na história do mundo acontecem duas vezes: a primeira vez como tragédia, a segunda como farsa.
Tomo a liberdade de fazer uma adaptação para o contexto político português com uma ressalva: Passos Coelho não tem qualquer importância no mundo. Mas ainda assim ele acontece duas vezes: a primeira como tragédia, a segunda como farsa. Embora me sinta forçada a reconhecer que "tragédia" e "farsa", quando falamos de Passos Coelho, se cruzem com demasiada frequência.

Sem comentários: