segunda-feira, 27 de julho de 2015

Traído pela Europa

Passos Coelho, um indefectível europeísta, dedicado a seguir todas as ordens de quem manda na Europa, acabou precisamente por ser traído por essa Europa – tudo em escassos dias. Primeiro, Donald Tusk, Presidente do Conselho Europeu, acabou por revelar que a brilhante ideia que Passos Coelho reclamou como sua e alegadamente desbloqueadora do impasse europeu, foi afinal ideia do primeiro-ministro holandês.
Depois foi vez de Jean-Claude Juncker, revelar que o Governo português, à semelhança do espanhol e irlandês, manifestou não querer sequer discutir qualquer alívio da dívida grega antes dos períodos eleitorais que se aproximam. Tratou-se, segundo o Passos Coelho, de um mal-entendido e de uma meia-verdade.
Finalmente, o Organismo Europeu de Luta Anti-fraude levanta questões sobre a famigerada empresa administrada por Passos Coelho: Tecnoforma - uma investigação que envolve o Ministério Público português e a Direcção-geral do Emprego para recuperar verbas indevidamente utilizadas pela Tecnoforma. Refira-se que no período em causa os fundos estavam sob tutela de Miguel Relvas e Passos Coelho prestava consultadoria à empresa. Anos volvidos, Passos Coelho lá aprendeu mais sobre pagamentos à segurança social.

O primeiro-ministro. um perdido pela Europa, sobretudo pela Europa de Merkel, sempre disposto a tudo para agradar à UE, credores e afins, é agora tramado pela mesma Europa que tanto adulou. Ironias do destino.

Sem comentários: