quarta-feira, 17 de junho de 2015

A contar os dias

Não devo ser a única pessoa ansiosa pelos períodos eleitorais que se avizinham, designadamente pelas presidenciais por haver já uma certeza: com a consumação desse acto eleitoral, o país vê-se livre do Presidente Cavaco Silva.
Depois de andar em campanha eleitoral pela coligação e após toda uma legislatura marcada pelo apoio a essa mesma coligação, a recta final da sua presidência continua marcada por afirmações desnecessárias. Primeiro sobre a venda da TAP e sobre o alívio presidencial subsequente. Depois sobre a Grécia e sobre uma pretensa superioridade de alguém que se deleitou com o resgate, que se calou perante a vergonha do BPN, que ajudou a criar a imagem de um banco sólido - o BES e que durante o resto do tempo serviu apenas de muleta ao Governo na tarefa de empobrecimento do país.

Contam-se os meses até às presidenciais porque existe a certeza de que o país deixará de ter Cavaco Silva como Presidente da República. Cavaco Silva aproxima-se do fim do seu mandato alegando ter o "ego mais do que satisfeito" e sentir-se no "máximo", em sentido diametralmente oposto ao país. Pior é difícil.

2 comentários:

Dalaiama disse...

:) Adoro as coisas que escreves e esta sobre o Cavaco é mais uma vez certeira. Só espero que este indivíduo pequeno e mesquinho, que nunca esteve à altura do cargo de Presidente (nem para primeiro-ministro serviu), não venha armar-se em difícil para aceitar a constituição de um governo à esquerda. Já andou a propagandear a suposta necessidade "de um amplo consenso" e da formação de um governo "com maioria absoluta para prosseguir as reformas necessárias". Bom, desejo ser otimista. Abraço.

Ana Alexandra Gonçalves disse...

Agradeço o comentário e presumo que, tal como eu, também está a contar os dias para as presidenciais. Mais uma vez, obrigada :)