terça-feira, 21 de abril de 2015

Apesar de...

"Apesar de ter servido em Governos do Partido Socialista... deu um contributo inestimável para o progresso da ciência em Portugal". Foi desta forma que Passos Coelho prestou "homenagem" a um dos homens que mais fez pela ciência e pelo conhecimento em Portugal - Mariano Gago.
Dois adjectivos destacam-se para caracterizar o Executivo de Passos Coelho: insensíveis e medíocres. De facto a mediocridade e a insensibilidade não parecem conhecer limites no seio deste Governo.
Apesar de tudo, Passos Coelho, coadjuvado por uma comunicação social refém da casta e entregue ao trivial, segue o seu caminho rumo a eleições, sem que as sondagens dêem conta do descalabro eleitoral que se justificaria, sobretudo depois de anos de incompetência, de empobrecimento, de promiscuidade e claro está, de mediocridade e insensibilidade.
Resta colocar a questão que se impõe: o que é que se passa connosco? Não há limites porque nós, colectivamente, nos demitimos da tarefa de impor esses limites.


Sem comentários: