quarta-feira, 11 de março de 2015

O perfil

"Perfil" - palavra em voga desde que o Presidente da República decidiu, em mais um dos seus Roteiros, traçar o perfil do próximo Presidente da República, numa clara indicação do seu sucessor. Características de uma República atípica.
Deste modo, Cavaco Silva considera que o próximo Presidente da República deve ter uma considerável experiência internacional. Numa questão de escassas horas, dois putativos candidatos à Presidência - Pedro Santana Lopes e Marcelo Rebelo de Sousa - anunciaram ao país serem possuidores dessa experiência internacional, encaixando, por inerência, no perfil traçado por Cavaco Silva.
Se o ridículo matasse, haveria seguramente muitas baixas. Desde logo, Cavaco Silva, um acérrimo defensor do sucesso do país, em questões de ajustamento, e forte crítico de países como a Grécia, recorrendo amiúde a exercícios de bacoca superioridade, considera ser importante traçar o perfil do seu sucessor.
Recorde-se que a Constituição da República Portuguesa considera elegível os cidadãos eleitores, portugueses de origem, maiores de 35 anos. A visão de Cavaco Silva é, naturalmente, diferente, embora paradoxalmente, afunile as candidaturas, deixando em vantagem os homens do sistema, como António Vitorino ou Durão Barroso.

Aguarda-se um novo roteiro de Cavaco Silva, onde este saliente o seu papel no empobrecimento do país e na própria degradação das instituições democráticas porque é dessa forma que ficará conhecido. A História não esquece, relembra.

Sem comentários: