quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Barbárie

O atroz ataque ao jornal satírico francês Charlie Hebdo toca-nos a todos – a todos os que defendem a liberdade de imprensa e a liberdade de expressão. A ofensiva que resultou na morte de 12 pessoas é um ataque claro às várias formas de liberdade que fazem parte das democracias. Agora é precisamente tempo de não abdicar de nenhuma dessas formas de liberdade, agora é tempo de reforçá-las.
Todavia, este ataque atroz resultará também num fortalecimento dos discursos xenófobos que caracterizam algumas forças políticas europeias, designadamente em França com a Frente Nacional encabeçada por Marine Le Pen.
É precisamente nestas alturas difíceis que medram as ideias mais simplistas e generalistas. O grau de receptividade será incomensuravelmente maior depois do que aconteceu ontem no Charlie Hebdo.
Espera-se ainda assim que o bom senso seja mantido e que a luta contra esta forma de extremismo se faça com inteligência, imaginação, mantendo aquilo de tão positivo que nos caracteriza: o amor pela liberdade, mas também a igualdade e a fraternidade. É também desta forma que se honrará os nomes daqueles que em nome da liberdade perderam as vidas num ataque abjecto que nos toca a todos.


Sem comentários: