segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Crise económica na Rússia

Vladimir Putin reconheceu a existência da crise económica russa, admitindo que a resistência à diversificação da economia estará subjacente às dificuldades presentes. Putin abordou a questão das sanções impostas e à descida significativa do preço do petróleo como outros elementos subjacentes à crise económica.
Deste modo, ficou feito o resumo das causas da crise que está a assolar a economia russa. De fora do discurso de Putin ficou a corrupção e o próprio regime oligárquico como elementos indissociáveis da crise russa. É evidente que Putin, o homem que encabeça a oligarquia, não está disposto a relacionar os homens que dominam o país e o descalabro da economia russa.
Por outro lado, as difíceis relações com o Ocidente, que se agravaram com a questão ucraniana, trazem novas dificuldades que vão para além das próprias sanções impostas pelo Ocidente. Importa contudo lembrar que o afastamento da Rússia começa nos anos Bush com o abandono dos EUA de tratados como o tratado de mísseis, a construção de um escudo anti-míssil na fronteira russa levada a cabo pelos EUA, empurrando a NATO para essa mesma fronteira. Estes avanços apenas contribuíram para o afastamento da Rússia e não serão evidentemente alheios à própria crise económica.

Sem comentários: