quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Confiança

Passos Coelho, entre membros do seu partido, referiu que não necessita do CDS para ganhar eleições. Isso é que é confiança. O ainda primeiro-ministro que enfrenta dentro de meses legislativas mostra-se convencido que vai ganhar as eleições.
Com efeito, o pior político é aquele que não vê as evidências; o pior político é aquele que se mostra incapaz de percepcionar os sentimentos dos seus cidadãos,
Passos Coelho demonstra viver absolutamente desfasado da realidade e essa realidade - a do desemprego, do trabalho precário, do enfraquecimento do Estado Social, do menosprezo pelos cidadãos; dos cortes salariais e de pensões e da venda do país - cair-lhe-á em cima precisamente no próximo período eleitoral. Com o CDS ou sem o CDS.
Passos Coelho sempre se mostrou incapaz de perceber que é sempre possível fazer mais e melhor pelos cidadãos. É preciso querer; é essencial existir vontade política. Passos Coelho não quis e não quer. Não faz parte do seu ideário e seguramente não fará parte da sua personalidade. É tão simples quanto isso.
As forças de mercado, a crise, os compromissos não explicam tudo - são inúmeros os exemplos disso mesmo. Passos Coelho não quer ver e, pior, não quer que os cidadãos se apercebam que é possível fazer muito mais e melhor. Passos Coelho ficará na História como a antítese dessa possibilidade.

Sem comentários: