quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Histórias mal contadas

São muitas no que toca à actuação deste governo, mas talvez a mais disparatada se prenda com a sabotagem do Citius.
Depois de meses de trapalhadas que se traduziu no falhanço do sistema e consequente caos no funcionamento dos Tribunais e depois da propalada maior reforma da Justiça dos últimos 200 anos que redundou na já referida trapalhada, dois funcionários do Ministério da Justiça - com parcas competências técnicas - foram acusados de sabotagem. Com que propósito? Não se sabe e nunca se saberá porque esta história está mal contada, para utilizar um eufemismo.
Traduzido por miúdos, a culpa terá sido de dois funcionários. Não terá sido esse o entendimento da Procuradoria Geral da República que deixou cair a "sabotagem".
A ministra essa mantém-se irredutível - não se demite nem quer ouvir falar em demissão. À semelhança do que este Governo já nos habituou - responsabilidades não é com eles. Sabotagem à parte, a verdade é que com isto se manchou a imagem de dois funcionários do ministério da Justiça e para quê? Todos conhecemos a resposta. Esta história faz-nos lembrar outra que envolvia escutas ao Presidente da República no Palácio de Belém quando o "culpado disto tudo" era primeiro-ministro.

Sem comentários: