terça-feira, 2 de setembro de 2014

Tribunais sim, mas à distância

Para além do caos que se instalou na Justiça, com a deslocação de processos e com problemas informáticos que tornaram a Justiça ainda mais inacessível, este Governo decidiu encerrar mais tribunais, alegando que assim, de alguma maneira, a Justiça funcionará melhor. Os portugueses que vivem de perto o problema da desertificação, sobretudo no interior do país, vêem assim o seu isolamento aumentar exponencialmente.
O Jornal Público conta a história de quem tem de se deslocar de véspera ao Tribunal para assistir à sessão, ou então pernoitar num hotel. A revolta destas populações fica confinada às suas terras agora mais isoladas. Por outros lados, ouvir-se-á um queixume ou outro e nada mais.
Esta reforma, a par das outras idealizadas por este Governo e até certo ponto pelo anterior, tem como objectivo a poupança, à custa, como de resto tem sido habitual, do que resta de bem-estar das populações. Mais uma vez é mais fácil cortar nos mais fragilizados do que afrontar quem detém alguma espécie de poder. Não só é mais fácil mas também se trata de um imperativo ideológico. Se dúvidas persistem veja-se o caso das PPP's, Swaps, benefícios fiscais a grandes empresas e à finança, etc.
É por demais evidente, mas nunca é demais repeti-lo: este Governo está ao serviço de interesses que estão longe de se coadunar com os interesses dos cidadãos.
A Justiça é agora ainda mais inacessível. Tribunais sim, mas a uma distância cada vez maior das populações.

Sem comentários: