segunda-feira, 21 de julho de 2014

Contenção a Israel

Foi este o pedido do Secretário-Geral das Nações Unidas – um pedido dirigido a Israel, depois de intensivos ataques à Faixa de Gaza e sobretudo depois de uma incursão terrestre cuja justificação é difícil e cujas consequências para os palestinianos são dramáticas.
O pedido de Ban Ki-moon,Secretário-Geral das Nações Unidas, é insuficiente e será ignorado, como tantos outros pedidos por parte das Nações Unidas.
Depois do assassínio de três jovens israelitas, depois do assassínio de um jovem palestiniano, depois de ataques mútuos e sucessivos, e na sequência ainda da manifestação de força de Israel, claramente desproporcionada, o resultado está à vista: centenas de mortes do lado palestiniano – só no domingo mais de cem -, um terço crianças e mulheres, e pouco mais de uma dezena do lado israelita. Atrocidades atrás de atrocidades.
Recordemos que na faixa de Gaza vivem mais de milhão e meio de palestinianos, encurralados num pedaço de terra exíguo, um verdadeiro beco sem saída. Imagine-se agora esse beco exíguo ser permanentemente bombardeado.
Israel, por sua, vez, justifica os ataques e sobretudo a incursão terrestre com os sucessivos ataques de rockets por parte do Hamas. Todavia, a resposta israelita é claramente desproporcionada e raia o crime humanitário.
Se a vida em Gaza era quase uma impossibilidade, hoje é indubitavelmente um inferno. Urge um cessar fogo imediato e não uma contenção como aquela pedida pelo Ban Ki-moon.

Sem comentários: