sexta-feira, 16 de maio de 2014

Desvalorização salarial, desvalorização salarial, desvalorização salarial

A Europa parece apenas conhecer esta receita para fazer face à necessidade de Portugal continuar a consolidar as suas contas públicas. A troika vai-se embora, contudo é necessário que o Governo português continue na senda da desvalorização salarial. É importante que Portugal continue a sua transformação num reduto de baixos salários ao serviços de uma Europa sem rumo.
Paralelamente, e apesar do discurso europeu incidir sobretudo na necessidade da desvalorização salarial, é também fundamental que exista estabilidade, no plano político. Dito por outras palavras, importa que os partidos da governação ou qualquer coisa semelhante (PS) mantenham as rédeas do país. Caso contrário... os mercados, os sacrossantos mercados podem retirar a sua preciosa confiança. Não há nada como uma bela ameaça, particularmente em vésperas de eleições.
Resumindo, o país não pode ser negligente e abrandar as suas transformações. Num país em que crescem as desigualdades sociais, a preocupação das principais instituições europeias prende-se com a pretensa elevada massa salarial.
As eleições aproximam-se, mas entre a abstenção que será seguramente elevada e a insistência nas escolhas do costume, nada de substancial mudará.



Sem comentários: