terça-feira, 18 de março de 2014

Referendo na Crimeia e reacções

Depois dos acontecimentos na Ucrânia que resultaram na queda do Presidente, a Crimeia decide em referendo a anexação à Rússia. Ninguém pode falar em surpresa, era expectável que as regiões mais próximas da Rússia reagissem aos acontecimentos dos últimos meses.
A comunidade internacional, sobretudo os Estados Unidos e a União Europeia condenam o referendo e classificam-no como ilegal. Curiosamente, a questão da legalidade não foi levantada aquando precisamente dos acontecimentos que resultaram na queda do Presidente Ianukovich. Acontecimentos que se tivessem ocorrido noutros países sofreriam as mais severas condenações por parte da comunidade internacional.
Esta dualidade de critérios é também característica da própria União Europeia, com a Alemanha à cabeça - UE que apoiou os opositores ao Presidente Ianukovich, nunca levantando a questão da ilegalidade relativamente aos acontecimentos que resultaram na queda do Presidente, agora, com o referendo, cai o Carmo e a Trindade.
A posição da UE está longe de ser coerente. Não assistimos a tanta celéuma por parte dos principais Estados-membros aquando da separação do Kosovo da Sérvia, por exemplo. Consequentemente, as reacções e as posições variam consoante o interesse de alguns países europeus - nem se trata do interesse da União Europeia, mas de alguns países que a compõem.

Sem comentários: