segunda-feira, 31 de março de 2014

O castigo

François Hollande, Presidente francês, à semelhança de outros socialistas, governa à direita e insiste na premissa errada de que a austeridade cura todos os males. O resultado está à vista: uma derrota desastrosa em eleições municipais. Ganhou a direita e ganhou a abstenção.
Como forma de lidar com a derrota, Hollande prepara uma remodelação. As políticas centradas na austeridade são para manter. Hollande foi castigado. Perdeu votos para a abstenção e terá perdido votos para a direita.
Marine Le Pen, líder do Frente Nacional, partido de extrema-direita vai fazendo o seu caminho: o melhor resultado em eleições locais. A ver vamos como serão os resultados deste partido nas próximas eleições europeias marcadas para Maio.
O esvaziamento ideológico de que padecem alguns partidos, repletos de contradições disfarçadas por um falso pragmatismo, afastam os eleitores. A crise e uma Europa sem rumo afastam os eleitores e não raras vezes empurram-nos para discursos populistas e odiosos.
O castigo de Hollande não é de difícil explicação e nem tão-pouco será inédito.

Sem comentários: