quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Se o rídiculo matasse...


Quando pensavamos que ja tinhamos visto tudo em política, o PSD surpreende-nos com o regresso de Miguel Relvas provando que naquele partido desvirtuado há lugares para todos, pelo menos para todos os amigos.
Miguel Relvas regressa para encabeçar a lista do Conselho Nacional. Muitos congressistas foram apanhados de surpresa e acredita-se que alguns não se mostraram particularmente satisfeitos com a escolha. No entanto, a celeuma acabou por não se verificar e tudo acaba bem com sorrisos e promessas de fazer o melhor pelo partido, sobretudo agora que se avizinha novo período eleitoral.
De Miguel Relvas não há muito a dizer, o ridículo tomou conta do ex-ministro, mas nem isso terá sido suficiente para demover Passos Coelho de o repescar, o que prova que o PSD é um partido onde há lugar para todos, pelo menos para todos aqueles que se enquadram num partido que está longe de se pautar pela competência e mais longe ainda dos interesses dos cidadãos. O regresso de Miguel Relvas também é um sinal do "vale tudo" que tanto provoca excitação no líder do PSD e primeiro-ministro. Se o rídiculo matasse... nunca em Portugal.

Sem comentários: