sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Passos Coelho e os antónimos

Pedro Passos Coelho agradeceu à troika por levar o país ao "caminho da estabilidade". Passos Coelho disse, sem se rir, que o país está agora a caminhar no sentido do desenvolvimento. Um desenvolvimento sem investigação, sem ciência, sem educação, sem cultura, sem classe média; um desenvolvimento que conta apenas com pobreza, baixos salários e com um Estado que tem cada vez menos serviços de natureza social disponíveis. É este o desenvolvimento que Passos Coelho apregoa; é também por isto que o primeiro-ministro agradece à troika.
Com efeito, este Governo, para além dos inúmeros defeitos que tem, manifesta dificuldade no domínio do léxico. Todos nos lembramos do "irrevogável". E agora percebemos que a palavra "desenvolvimento" não é familiar a Passos Coelho. Uma dificuldade que passa indubitavelmente pelos antónimos. Talvez Passos Coelho se referisse a um antónimo de "desenvolvimento" e não a "desenvolvimento" propriamente dito.

Sem comentários: