segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Afinal, podia ter sido pior


O lema do Governo parece ser "afinal até podia ter sido pior". Desde a TSU (a que incidia sobre o trabalhadores e não a ideia peregrina de aplicar a TSU a pensionistas) que se assiste a este género de estratégia pueril e que só ilude os mais incautos.
Agora verifica-se o mesmo com os polémicos cortes nas pensões de sobrevivência. Depois de mais de uma semana de polémica, Paulo Portas veio sossegar as hostes, mostrando que a medida, afinal, nem é assim tão negativa, sendo que as vítimas andam na casa dos 25 mil.
Em mais um exercício penoso para quem assiste, Paulo Portas aproveitou a ocasião para desempenhar o papel de vítima. De resto, foi tudo uma manobra de desinformação e difamação. As viúvas e viúvos estão a salvo, excepto 25 mil. Paulo Portas continua a fazer a defesa dos mais velhos e com mais um bocadinho de esforço até já poderá regressar às lotas. E fica tudo na mesma, até porque não se esqueçam: podia ser muito pior e só não é graças a homens providenciais como Paulo Portas.

--

Sem comentários: