terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Duodécimos

Segundo o jornal Público, o pagamento dos subsídios em duodécimos está a provocar resistência nos privados. A razão é simples: a maior parte dos trabalhadores prefere manter os subsídios na totalidade - muitos não querem perder esse direito (o direito de receber, na totalidade, os subsídios de férias e de Natal).
O Governo encontrou desde modo um meio de atenuar o "enorme" aumento de impostos. É um logro que nada está relacionado com uma qualquer atenuação da carga fiscal, para bem dos cidadãos, mas trata-se antes de uma forma de escamotear a verdade, inviabilizando assim uma maior resistência por parte de trabalhadores, reformados e pensionistas.
Ainda assim, verifica-se que uma boa parte daqueles que podem escolher preferem o subsidio na totalidade, pese embora o decréscimo verificado no seu rendimento mensal.
Depois da aprovação do Orçamento de Estado que contempla este "enorme" aumento de impostos; depois da trapalhada em torno da aplicação da medida que previa o pagamento dos subsídios em duodécimos, verifica-se que há "resistência" à medida aprovada pela maioria com o beneplácito da UGT. Espera-se, num futuro próximo, o surgimento de novas formas de resistência.

Sem comentários: