segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

"Ciclo vicioso"

Portugal não está num "ciclo vicioso", palavras de Passos Coelho. Entre muitas outras duvidas fica por esclarecer se o primeiro-ministro queria dizer mesmo "ciclo vicioso" ou "círculo vicioso".
De qualquer modo, Passos Coelho está convencido (?) ou pretende convencer que a sua receita assente em doses cavalares de austeridade vai produzir outros resultados para além do desastre que já estamos a viver.
Assim, o primeiro-ministro, por altura das janeiras, afirma que "vislumbra a saída de um período difícil" em contraste com a inexistência de um "ciclo vicioso" ou será círculo vicioso?
Contra todas as evidências, o primeiro-ministro procura passar a ideia de que todos estes incomensuráveis sacrifícios valerão a pena. E nem podia ser de outra forma, afinal de contas, o primeiro-ministro precisa de legitimar a sua acção política, numa altura em que apenas pode contar com a compreensão de poucos e de outros tantos iluminados que o coadjuvam.
E é deste singelo modo que se elimina a possibilidade de se estar a viver uma situação de "ciclo vicioso" ou será antes "círculo vicioso"?

Sem comentários: