terça-feira, 20 de novembro de 2012

Previsões

Sendo certo que 2013 será caracterizado como annus horribilis, o Governo reviu em baixa o crescimento para o ano de 2014, o ano da retoma. Ou seja, em 2014 o crescimento será anódino, num valor abaixo de um por cento. A taxa de desemprego também baixará, segundo as previsões do Executivo de Passos Coelho.
Para 2013, a expectativa do Governo passa por uma recessão de um por cento. Provavelmente só Vítor Gaspar terá expectativas tão lisonjeiras para o ano que se avizinha.
As previsões do Governo têm tido o condão de ficarem distantes da realidade nada indica que estas sejam particularmente diferentes.
O que também se prevê é um cerceamento das funções do Estado Social e o mais do que provável despedimento de funcionários públicos, sendo também expectável que esse despedimento (provavelmente terá outra designação que não esta) não incidirá sobre as hierarquias mais elevadas que pululam na Administração Central, designadamente nas empresas públicas, municipais e afins.

Sem comentários: