segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Refundação

Nas jornadas parlamentares de PSD e CDS, o primeiro-ministro falou da necessidade de uma refundação do acordo com a Troika, tendo como objectivo uma profunda reforma do Estado. As palavras do primeiro-ministro deixaram mais dúvidas do que certezas e o oráculo de domingo (o ilustre Professor Marcelo Rebelo de Sousa) já afirmou que falar em refundação "é um erro monumental".
É evidente que o que Pedro Passos Coelho quer é reduzir ainda mais as funções do Estado, para tal será necessário "refundar" o acordo com a Troika.
Recusa-se, deste modo, qualquer renegociação com vista a aligeirar as doses cavalares de austeridade, não é esse o objectivo. Trata-se antes de encontrar formas de reduzir o Estado a funções mínimas, pondo em causa, naturalmente, o Estado Social.
É também evidente que se aguarda por mais explicações do primeiro-ministro, ficando-se no entanto sem saber se essas explicações alguma vez chegarão aos ouvidos dos Portugueses. Existe uma probabilidade maior de serem membros das instituições europeias ou responsáveis políticos alemães a terem acesso às mesmas explicações.

Sem comentários: