sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Desemprego

Por cá corta-se nos mais baixos valores do já parco subsídio de desemprego, em Espanha, o desemprego (o que é expresso em números oficiais) bate recordes, ultrapassando os 25 por centro. Na Grécia, a situação não é particularmente mais animadora. No caso espanhol a taxa de desemprego tem estado acima da média europeia, mesmo antes da crise e das medidas draconianas para combater as "irresponsabilidades" dos países. Seja como for, essa mesma taxa de desemprego atinge agora valores insuportáveis.
Com efeito, o desemprego não é uma prioridade para a União Europeia. Prioridade é pôr em marcha as premissas da ideologia dominante, com a liderança mais ou menos tácita da Alemanha. O desemprego é um efeito do cumprimento dessas mesmas premissas.
O desemprego em Portugal atinge também valores inimagináveis há escassos anos atrás. Mas por aqui tudo é mais claro:quem tem o "privilégio" de receber subsídio, mesmo sendo esse subsídio baixo, verá o valor baixar enquanto desespera à procura de emprego. Aos outros, os que não têm subsídio, os que procuram o primeiro emprego e até a alguns que trabalham, resta-lhes emigrar. Conselho do próprio primeiro-ministro.

Sem comentários: