quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Atacar os mais fracos

O que dizer de um Estado que se prepara para atacar as franjas da população que já se encontram em situação fragilizada? O que dizer de um Governo que corta nos subsídios de desemprego mais baixos? Em rigor, adjectivos não faltarão para caracterizar quem, em nome de compromissos externos, falha deliberadamente os compromissos internos com a sua população, em particular com o vasto número de pessoas que já se encontram na pobreza.
Ontem o ministro da Segurança Social afirmou que o Governo ia recuar na intenção de aplicar cortes de dez porcento nos subsídios de desemprego mais baixos. No entanto, a esses subsídios será aplicada uma taxa de seis porcento. Ou seja, os subsídios de desemprego mais baixos sofrerão um corte. Ora um corte, mesmo de seis porcento, em valores que rondam os quatrocentos euros é simplesmente vergonhoso. Vergonha é coisa que este gente abjecta simplesmente não tem.

Sem comentários: