quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Contestação II

As vozes de contestação sobem de tom, à esquerda, à direita, ao centro, no meio, ao fundo, em cima, em baixo, etc. Ferreira Leite manifestou ontem, em entrevista, o seu profundo desagrado com as medidas anunciadas pelo Governo. Mário Soares confessou não poder estar presente na manifestação do próximo dia 15 por compromissos entretanto assumidos e mostrou-se "profundamente indignado". A Igreja volta mostrar incompreensão com a injustiça do rumo escolhido pelo Governo. Assunção Cristas, ministra da Agricultura, escapa a um ovo.
A incompreensão, a indignação e a contestação são generalizadas. Está aberta a possibilidade do Governo enfrentar a sua primeira crise política. Os acontecimentos sucedem-se. Hoje o primeiro-ministro dá uma entrevista na RTP1; o líder do principal partido da oposição fala ao país. Ontem Manuela Ferreira Leite não afastou liminarmente a possibilidade de estar presente nas manifestações. Sinais de um descontentamento transversal e da possibilidade de se viver um período de instabilidade política. A receita é desastrosa e experimentalista, só o Governo é que ainda não percebeu isso.

Sem comentários: