segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Amigos

Foi desta forma que Pedro Passos Coelho iniciou o seu "post" no Facebook, um dia depois de ter anunciado aos Portugueses mais medidas onerosas que atingem, no essencial, a classe média trabalhadora, novamente.
Escusado será dizer - até porque já foi sobejamente afirmado - que estas medidas não vão produzir os efeitos anunciados pelo primeiro-ministro, designadamente no que diz respeito a um hipotético aumento do emprego. Muito pelo contrário. Escusado será enfatizar que estas medidas voltam a penalizar uma classe média depauperada. Escusado será dizer que as medidas anunciadas devem ser enquadradas num contexto de total benefício para a finança e para as grandes empresas, em detrimento de quem trabalha.
É com a palavra "amigos" que Pedro Passos Coelho anuncia o seu estado de alma na conhecida rede social. A familiaridade é inusitada e só lhe fica mal, em particular porque no dia anterior mostrou a sua confiança e irredutibilidade que acaba por cair por terra no facebook. Sendo certo também que no dia anterior o estado de alma de Pedro Passos Coelho não estaria pelas ruas da amargura, tendo em consideração o facto deste ainda ter encontrado força para comparecer a um espectáculo musical.
De um modo geral, o primeiro-ministro podia ter encurtado a sua declaração na sexta-feira. "Amigos, preparem-se para mais empobrecimento.". Esta frase seria um bom resumo das medidas anunciadas. "Amigos, não vamos ficar por aqui" - é o mote para a semana que agora começa.

Sem comentários: