sexta-feira, 13 de julho de 2012

Violência na Síria

Vários órgãos de comunicação social apelidam o último massacre na Síria, na província de Hama, como sendo o maior massacre na Síria desde o início da revolta. A comunicação social apenas faz eco das palavras de membros da oposição ao regime de Bashar al-Assad. Pelo menos 200 pessoas terão morridas, muitas executadas com um tiro na cabeça, outras fontes falam em três centenas de vítimas mortais. Segundo informações prestadas pela oposição ao regime sírio, uma mesquita terá sido bombardeada no momento em que muitos Sírios procuravam fugir do massacre
A comunidade internacional, designadamente a ONU, tem revelado uma acentuada incapacidade para encontrar caminhos para uma possível solução de paz.
A Rússia, país aliado de Bashar al-Assad, inviabiliza qualquer solução que ponha em causa o regime sanguinário.
A oposição ao regime sírio acusa a comunidade internacional de inacção e de ser co-responsável pelo massacre, à luz do que se conhece do que é a comunidade internacional e da sua forma de agir não se poderia esperar outra coisa. Não havendo interesses fortes na região, o problema não é particularmente inquietante para essa mesma comunidade internacional. Deixa-se a tarefa a um enviado das Nações Unidas com a sua diplomacia suave tenta resolver problemas incomensuráveis. O resultado está à vista.

Sem comentários: