terça-feira, 24 de julho de 2012

"Que se lixem as eleições"

A frase prosaica é de Pedro Passos Coelho. "O que interessa é Portugal". Com efeito o mais apropriado seria "que se lixem os Portugueses", "o que interessa são os mercados, a Troika, a Merkel e os meus outros donos". Mas isso é só um aparte.
Desta forma, o primeiro-ministro tentou mostrar a sua firmeza em seguir o melhor caminho para Portugal, mesmo que esse caminho custe as próximas eleições. Claramente se tentou passar com esta frase a ideia de que estes senhores estão dispostos a tudo para alcançar uma hipotética recuperação da economia portuguesa, quando na realidade o caminho seguido - pintado com as cores da inevitabilidade - tem sido o do empobrecimento deliberado. O caminho seguido é vantajoso para quem realmente tem poder neste país: redução dos custos do trabalho e enfraquecimento das relações laborais com clara vantagem para as entidades patronais (a isto acresce a precariedade gritante que tem sido agravada pelas elevadas taxas de desemprego) e o desmantelamento do Estado Social com as inerentes oportunidades de negócio que todos conhecemos. A crise é o pano de fundo ideal para levar a cabo um projecto que há muito era ambicionado. Passos Coelho é o executor.
"Que se lixem as eleições" diz Passos Coelho. Apetecia-me aproveitar a frase, procedendo a ligeiras alterações, mas a educação não me permite.

Sem comentários: