segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Manifestação de dia 21

Tal como previsto no dia 21 teve lugar em Lisboa uma manifestação de movimentos de cidadãos que a comunicação social designa de "indignados". Excepção feita a um episódio menos feliz que envolveu um grupo de pessoas ligadas à extrema-direita, a manifestação decorreu num contexto de cidadania activa, pacificamente.
A adesão não foi comparável a outras manifestações recentes, mas importa louvar o esforço levado a cabo por pessoas que lutam por um país melhor. No fundo é disso que se trata. Infelizmente, este esforço é amiúde mal compreendido por outros cidadãos que vêem invariavelmente motivos para criticar até aqueles que lutam contra as injustiças.
Por outro lado, a ideia de que não existem alternativas também encontra o seu espaço. A desigualdade faz o seu caminho, o desemprego grassa, o retrocesso social é sentido a cada dia que passa, mas não há alternativa. A comunicação social, socorrida dos comentadores do costume, faz-nos o favor de relembrar todos os dias que estes males são necessários. O Governo tem, desse ponto de vista, um apoio de peso da comunicação social.
No dia 21 vários cidadãos saíram à rua também com o objectivo de mostrar que essas alternativas existem. A assembleia popular que teve lugar junto ao Parlamento mostrou que há quem não se resigne e que lute pela divulgação dessas mesmas alternativas.
Com efeito, quanto não sabemos da existência de alternativas, o pensamento único instala-se. A luta também se faz nesse campo.

Sem comentários: