segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Legítima defesa

É assim que Alberto João Jardim procura defender-se do problema criado por ele próprio na Madeira. Consequentemente, a omissão - gravíssima - de 1113 milhões de euros em dívidas foram emitidas em legítima defesa, tudo por causa do Governo de José Sócrates.
As explicações de Alberto João Jardim são surreais. Embora não cause grande espanto que o Sr. da Madeira tenha adoptado um comportamento irresponsável e, em qualquer Estado de direito, criminoso, a verdade é que este é mais um buraco que embaraça o pais, embaraço esse que terá de ser pago por todos os portugueses. Este é mais um buraco a somar ao BPN, aos submarinos, aos contratos ruinosos fruto da promiscuidade entre poder político e poder económico e as famigeradas parcerias público-privadas. Isto ao que se sabe. O buraco da Madeira torna-se ainda mais grave por ter sido escondido.
Serão os Portugueses, em particular a mais do que magra classe média a pagar mais este desvario criminoso.
Não deixa de ser curioso ver tantos e tantos apoiantes de Alberto João Jardim apoiá-lo fervorosamente, o que é, aliás, sintomático de um país que lida de ânimo leve com políticos que em nada dignificam o país. Temos o que merecemos e a Madeira é exemplo disso mesmo. Continuaremos a escolher políticos irresponsáveis e que não raras vezes não se coíbem se adoptar comportamentos a raiar a ilicitude e o crime, para depois nos queixarmos do nosso destino de sofrimento e de completa ausência de esperança no futuro.
A legítima defesa de Alberto João Jardim é mais um sinal de que este responsável já deveria ter sido afastado do poder há muito tempo. Não é assim e quem sabe se mesmo agora depois deste acontecimento gravíssimo será assim. Com efeito, o povo tem o que merece.

Sem comentários: