terça-feira, 19 de abril de 2011

A Europa numa encruzilhada

O problema grave das dívidas soberanas de vários membros da Zona Euro tem contribuído para um enfraquecimento do projecto Europeu, colocando a própria UE numa encruzilhada. De facto, ou a Zona Euro congemina uma estratégia para atenuar os problemas das dívidas soberanas ou é o próprio projecto europeu que está seriamente em causa.
Com efeito, a crise do sector financeiro que começou nos EUA pôs a nu a inexistência de mecanismos do Euro para fazer face a crises de grande amplitude, assim como pôs a descoberto as incomensuráveis assimetrias entre os vários países da Zona Euro. A reacção dos líderes europeus foi em sentido diametralmente oposto aos princípios da União Europeia - os princípios da solidariedade e do bem estar social.
Hoje, o eurocepticismo grassa por toda a Europa, deixando cair por completo os princípios fundadores do projecto Europeu. Deste modo, ou a Europa encontra rapidamente instrumentos que lhes permita atenuar as assimetrias, evitando que alguns países sucumbam a crises endémicas ou passar-se-á a discutir o fim da Zona Euro e talvez da União Europeia como a conhecemos. Sem uma uniformização fiscal, sem um Orçamento digno desse nome e sem a alteração das funções do próprio BCE a Europa apenas caminha no sentido do enfraquecimento do seu projecto.

Sem comentários: