segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Líbia

As revoltas no mundo árabe chegaram à Líbia. A repressão do regime já fez um elevado número de mortos. Contrariamente à Tunísia ou até ao Egipto, o regime de Khadafi parece mais consolidado, sendo deste modo mais difícil uma queda relativamente pacífica do regime. O filho de Khadafi fala mesmo na hipótese de guerra civil.
Sejamos realistas: o regime de Khadafi só pode ser caracterizado como obsoleto, mesmo levando em consideração a mudança para o campo da moderação no que diz respeito à relação da Líbia com o mundo ocidental. À semelhança de outros países árabes, é o povo que vive diariamente as dificuldades e as desigualdades deste país exportador de petróleo. Por conseguinte, é difícil refutar a legitimidade do povo líbio que, apesar da repressão, não cessa a sua luta por mais liberdade e por melhores condições de vida que são indefinidamente adiadas por um regime anacrónico e déspota.
As revoltas continuam no Médio Oriente e no Magrebe. Apesar das consequências incertas e até mesmo nefastas, designadamente no que diz respeito ao que se sucederá à queda de um determinado regime e às consequências económicas, em particular o mais do que provável aumento do petróleo, a legitimidade dos povos desta região é incontestável.

Sem comentários: