quarta-feira, 3 de novembro de 2010

A defesa do indefensável

Apesar de todas as discussões em torno do Orçamento de Estado e do acordo entre o Governo e o PSD, José Sócrates insiste no TGV. De facto, o investimento público é fundamental para a recuperação económica. Será mais duvidoso que esse investimento seja canalizado numa obra megalómana como o TGV, mesmo com o recurso a fundos comunitários. Existem muitas formas de investimento público que poderiam passar, por exemplo, pela recuperação da multiplicidade de imóveis em degradação que assolam muitas cidades do país. A proposta foi do Bloco de Esquerda e não se pode dizer que não faça sentido.
Além do mais, a teimosia do Governo não se compreende quando a obra em questão implica uma larga ausência de consenso. Não se pode tratar estes assuntos da forma como têm sido tratados. Grandes investimentos públicos exigem um consenso mais alargado, o que não existe.
José Sócrates e o seu Governo continuam a defender o indefensável, insistem na tónica da crispação, e o primeiro-ministro volta a utilizar a arrogância como arma política. O espectáculo de ontem no Parlamento foi absolutamente vergonhoso, sendo este mais um sinal de que o actual Executivo de José Sócrates não serve o país, já causou estragos incomensuráveis e continua a agir como se ainda tivesse uma maioria absoluta.
A possibilidade do Governo cair já no próximo ano vai ganhando força a cada dia que passa.

Sem comentários: