quarta-feira, 20 de outubro de 2010

As condições do PSD

O Partido Social Democrata colocou condições para a aprovação do Orçamento de Estado, o líder do PSD quer um Orçamento que estimule a economia, recusando o aumento do IVA em dois pontos; recusando os cortes nas deduções da saúde, educação; propondo um agência externa que fiscalize a despesa e a dívida pública. Sem estas condições o Partido Social Democrata chumbará o Orçamento e foi reunido consenso interno.
Parece-me que uma forma ou de outra, o Orçamento acabará por ser viabilizado pelo PSD. O líder do maior partido da oposição tem razão quando fala na necessidade de estímulos à economia. É fundamental para que a economia cresça e que haja um clima de confiança e estabilidade entre os agentes económicos. Esse clima decididamente não existe quando no espaço de alguns meses o Governo mexe na carga fiscal.
Note-se porém que sem mudanças que ponham um ponto final nos excessos do Estado - que canaliza recursos para alimentar vícios e vastas clientelas ao invés de servir o cidadão -, e sem uma reforma (por muito que a palavra esteja gasta, é disso que o país precisa), sem o fim da burocracia (com a despesa inerente) e sem uma aposta séria na qualificação dos recursos, sem o habitual recurso a malabarismos e ilusionismos, tudo será em vão.

Sem comentários: