sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Controlo da comunicação social

O Jornal Sol noticia hoje que a investigação do caso Face Oculta acabou por revelar tentativas por parte do Governo de controlar a comunicação social. A gravidade destas acusações são um indubitável atentado à própria democracia. O despacho dos juízes refere mesmo uma espécie de plano governamental para afastar jornalistas incómodos. Será porventura à luz deste despacho que devemos olhar para a saída de Manuela Moura Guedes da TVI, José Manuel Fernandes do Público, e para a conversa do primeiro-ministro revelada por Mário Crespo da SIC Notícias. Ora, perante a gravidade destas acusações, o primeiro-ministro continua a refugiar-se no silêncio.

Esta tem sido uma semana difícil para o Governo. O imbróglio da Lei das Finanças Regionais, as acusações de Mário Crespo e agora estas revelações são muito provavelmente decisivas para o futuro próximo do primeiro-ministro e do Governo, embora seja de assinalar a resistência deste primeiro-ministro. A verdade é que depois de tantos casos, suspeições dúvidas e opacidade, José Sócrates conseguiu manter a confiança de tantos portugueses que o reelegeram.

Todavia, o Governo mostra ter muitas dificuldades em governar em condições de maioria relativa e, além disso, mostra também uma enorme incapacidade para fazer face aos problemas graves que o país atravessa. O Orçamento de Estado terá sido o culminar da total inexistência de ideias para combater os problemas do país. No fundo, tratou-se de mais um adiamento relativamente a medidas intrincadas e com forte impacto que terão, mais dia, menos dia, de ser tomadas. Pelo que se perspectiva, essas medidas terão que ser tomadas já, no plano do imediato.

Perante estas dificuldades, o primeiro-ministro conta agora com mais suspeições que recaem sobre a sua difícil relação com a comunicação social. Em rigor, este Governo, falhou também no processo de consolidação democrática - processo que passa invariavelmente pelo reforço do pluralismo. Ora, um primeiro-ministro que não sabe conviver com a crítica e, mais grave, que tenta controlar a comunicação social não respeitando um dos princípios básicos da democracia, não tem lugar como representante dos cidadãos. Seria profícuo que esses mesmos cidadãos percebessem que em democracia não há lugar a tentativas de controlo de liberdades fundamentais. O processo de consolidação democrática é responsabilidade de todos nós e, afinal, a democracia também é um sistema que nos permite afastar quem tem tiques de autoritarismo.

1 comentário:

HY disse...

Com um PM tão desgraçado, com coisas tão graves a acontecerem, com uma tragédia tão grande a abater-se sobre Portugal por culpa desse facínora que é Sócrates, de que está à espera a oposição, que aprova leis a aumentar o endividamento do país contra a vontade do Governo, para aprovar uma moção de censura e mandar Sócrates embora? Até têm a maioria absoluta! De que estão à espera? E o notável autor deste post, porque não denuncia tamanha indecisão? Vá lá, coragem, salvem Portugal, ponham o Sócrates na rua, seus valentões!!!