terça-feira, 13 de outubro de 2009

Ainda o PSD

O Partido Social Democrata está a fazer um balanço relativamente ao último acto eleitoral. É evidente que esse balanço vem acompanhado por várias interrogações quanto ao futuro do partido, designadamente quanto ao futuro da liderança. Às vozes que defendem uma permanência da líder até ao final do seu mandato, poucas são as que surgem a defender o mesmo princípio. Na verdade uma parte do partido anseia por uma mudança na liderança do partido.

O balanço que a comissão política vai fazer relativamente às autárquicas será seguramente positiva, se existe alguma discussão sobre quem saiu vitorioso destas eleições, essa discussão não se impõe sobre uma eventual derrota quer de PS, quer de PSD. Ambos tiveram um resultado favorável. O que realmente inquieta as hostes do PSD nem tanto saber quem saiu vitorioso deste acto eleitoral, quem vai liderar o partido e quando.

Tem-se colocado várias hipóteses em cima da mesa: desde Marcelo Rebelo de Sousa, Paulo Rangel, Morais Sarmento, entre outros. Todavia, parece só haver uma certeza - Pedro Passos Coelho estará na linha da frente para liderar o partido.

O PSD precisa de ultrapassar rapidamente este impasse e deixar de ter lideranças a prazo. São sobejamente conhecidas as fragilidades de um partido cuja vitalidade se confunde com quem o preside, o chamado "Catch-all-party", fraco na ideologia, corre o risco de ser cada vez menos uma alternativa ao PS. Deste modo, muito se decide nos próximos meses, ou semanas para um partido que tem tido dificuldades em ultrapassar lideranças como aquela que foi a de Cavaco Silva. De qualquer forma, um partido não pode viver do passado, ignorando o presente e esquecendo o futuro.

Note-se que a actual liderança merece o respeito devido, apesar da líder do partido ter abdicado do seu maior trunfo - a credibilidade - em prol de escolhas, no mínimo,duvidosas . Os episódios da Madeira e da lista de deputados para a Assembleia da República deixaram uma marca indelével no projecto da ainda Presidente do PSD, o que poderá ter dado um forte contributo para a sua derrota nas legislativas. Hoje sabe-se que Manuela Ferreira Leite está de saída, resta saber quem é o senhor que se segue no PSD.

3 comentários:

Rui Figueiredo Vieira disse...

Penso que o Pedro Passos Coelho depois daquilo que andou a fazer durante a campanha perdeu muitos apoios, é uma questão de credibilidade. Quanto a Paulo Rangel, tenho as minhas dúvidas, a verdade é que está a crescer muito rapidamente, era militante do CDS-PP e de um momento para o outro pela mão de Aguiar Branco aparece como secretário de Estado da Justiça e depois como Líder da Bancada Parlamentar do PSD. Por fim consegui uma brilhante vitória nas europeias. Foi meu professor de ciência politica, é inteligente, consegue encantar multidões, mas acho que ainda é muito cedo para ele.
Cumprimentos

on disse...

Cara Ana,
como é que se arranja o software que nos mostra os posts mais recentes dos blogues referidos na coluna da direita?
Obrigado,

Ana Alexandra Gonçalves disse...

Caro On, não lhe sei dar uma resposta exacta sobre a pergunta que me colocou. Talvez tenha a ver com o template utilizado. Eu apenas adicionei uma lista de blogues, e configurei. E assim ficou. Lamento não poder ajudá-lo mais. Cumprimentos,

Ana Alexandra Gonçalves