quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Obama: homem do ano

A conceituada revista "Time" elegeu Barack Obama como sendo o homem do ano. Era expectável, porventura, que esta e outras publicações tenham escolhido ou venham a escolher Obama como personalidade do ano. De facto, o recém-eleito Presidente norte-americano marcou indelevelmente o ano de 2008. Senão vejamos: conseguiu ficar na corrida das primárias americanas com o peso pesado do partido que é Hillary Clinton, a próxima secretária de Estado americana; conseguiu ganhar essas primárias do partido; conquistou, num primeiro momento o mundo, e depois os EUA, vencendo as eleições para a presidência americana.
Além do mais, foi responsável por uma crença generalizada na mudança, trazendo de volta muitos americanos que se tinham afastado da política. Com Obama, voltou-se a acreditar, a ter esperança. Esperança que se tem vindo a esvair na Europa e em grande parte do mundo, orfãos de liderança, contextos em que a classe política mostra-se incapaz de dar as respostas necessárias a uma crise que parece apenas estar no seu início.Mas Barack Obama também é personalidade do ano por ter chegado à presidência dos Estados Unidos contrariando tudo aquilo que muitos esperavam.
Com efeito, poucos teria acreditado, de forma veemente, que um afro-americano praticamente desconhecido conseguisse chegar a Presidente dos Estados Unidos. E embora a eclosão da crise tenha, eventualmente, potenciado os apoios a Obama, o ex-Senador do Illinois teve o mérito de fazer política como não se via hà muito tempo e, com isso, conseguiu conquistar o país.
Aliás, a eleição de Obama também foi uma lição para um mundo que olha com desdém para os EUA - apesar de, amiúde, as críticas às políticas americanas terem, de facto, o seu fundamento. Por todas as razões evocadas anteriormente, e por outras, Obama é, indubitavelmente, o homem do ano, pelo menos na consideração da "Time". Suspeitando-se, contudo,que muitas outras publicações acompanharão esta revista na escolha de Barack Obama para personalidade do ano. Para o resto do mundo certamente que não haverá dúvidas quanto a quem mais marcou o ano de 2008.

Sem comentários: