segunda-feira, 19 de maio de 2014

A troika foi embora...

... mas a festa foi pouco ou nada efusiva. Outros festejos talvez tenham comprometido uma maior manifestação de regozijo por parte de PSD e CDS - manifestações essas absolutamente indissociáveis da campanha eleitoral que conspurca até as mentes mais sãs.
A troika foi embora, a culpa é do outro e o árduo trabalho tem de continuar. Esta é a retórica repetida até à exaustão. Do lado do PS, o discurso não melhora. Apesar da apresentação de medidas e sobretudo depois da apresentação de medidas, quaisquer diferenças relativamente ao PSD acabam esbatidas, perdem força.
A troika foi embora... e depois? Foi a troika (?), ficou a escravatura da dívida totalmente consolidada - uma dívida que cresceu exponencialmente nos últimos três anos. Resta um país pobre, desalentado, incapaz de vislumbrar um futuro.
Pelo sim pelo não, o Presidente por terras do Oriente apela à aprendizagem do Mandarim. Para quê? Portugal está rapidamente a tornar-se numa pequena China europeia.
Por cá, os principais candidatos às próximas eleições europeias deixam-se filmar e fotografar enquanto assistem a jogos de futebol. Pelo caminho trocam acusações mútuas. Sobre a Europa nem uma ideia. Não há interesse, não convém, e talvez nem tão-pouco haja paciência.

Sem comentários: